Consulta terapeûtica

O que é a consulta terapêutica?

Por vezes, em diversas alturas de vida, poderão surgir conflitos internos que causam um sofrimento com o qual a pessoa não consegue lidar.

Esse sofrimento pode surgir de forma reactiva ( relacionado com um acontecimento), mas no entanto poderá ter a sua génese na infância.

É nessas alturas que faz sentido recorrer a ajuda, que poderá ser de forma breve, ao invés de uma psicoterapia mais prolongada.

A consulta terapêutica baseia-se no processo da psicoterapia, mas apenas são efectuadas algumas sessões, ou seja, não é um processo prolongado.

Poderá ser apenas uma sessão se o poblema ficar resolvido. Em resumo, é uma avaliação do problema apresentado, com uma devolução e compreensão da situação particular.Nessa avaliação poderá estar a resolução da situação.

A consulta terapêutica ajuda a familia, no caso das crianças, a desmestificar o problema, mas, também pode ajudar no caso de adultos. Só é indicada em situações que os sintomas não sejam sobredeterminados, e que a estrutura familiar em que a criança ou adulto esteja inserido seja contentora e funcional afectivamente.

Este tipo de consulta mais breve em tempo, não é indicado em situações patologicas graves, tais como depressões, fobias, psicose etc...

Na consulta terapêutica não se aplica o contrato terapêutico, embora algumas regras sejam mantidas para protecção do setting.

Todas as pessoas têm indicação para fazer uma psicoterapia?

Claro que não. Muitas vezes a pessoa procura apenas uma compreensão da sua situação, logo não será indicada uma psicoterapia. É sempre questionado à pessoa o que é que a levou a procurar o profissional.

No final da sessão é feita uma devolução sobre o seu caso em particular e é feita uma sugestão sobre o tipo de terapia indicado para a situação apresentada.

Claro que é sempre tido em conta a motivação da pessoa para a procura da consulta, a sua disponibilidade interna para o processo, e a sua adequação para este tipo de terapia.

A psicoterapia psicanalítica requer que a pessoa tenha capacidade de pensar sobre os seus problemas e consiga identificá-los. Quando a pessoa não tem essa capacidade e não existe a menor possibilidade de vir a desenvolver esse aspecto, então, depois da avaliação da situação poderei recomendar que procure um terapeuta comportamental ou a ajuda de outra especialidade.

Por outro lado, nem sempre a pessoa está preparada para "mexer" nas suas coisas e, este processo tem o seu tempo, o tempo de cada um. Por vezes a familia, os amigos, poderão achar que a pessoa deve tratar-se, mas, se esta não se sentir preparada para isso, há que esperar pela altura certa, ou seja, quando o paciente sentir essa necessidade.

966 860 680 lidia.craveiro@gmail.com
Consultório de Psicologia
@ 2019 Todos os direitos reservados